segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

O nosso meatless dinner #02


À segunda-feira ficamos as três sozinhas ao jantar, ótima oportunidade para os nossos jantares sem carne de segunda-feira - o pai não é muito adepto de pratos sem carne ou peixe. 

Publiquei na nossa página do Facebook um conjunto de 27 receitas para um meatless monday à base de cogumelos. Escolhi a receita que iria fazer hoje e propus-me ao desafio: Risotto de cogumelos e ervilhas.

Não é a primeira vez que faço risotto. Sei que não é um prato que se faz em 5 minutos, leva o seu tempo e requer uma boa dose de paciência. Não segui a receita no integral. Preferi dar o meu "jeito" e interpretar à minha maneira. E adivinhem só como? Com um caldo de legumes. Há dias vi um episódio do MasterChef Australia sobre risottos, com os sábios conhecimentos do famoso Marco Pierre White. Falavam que a parte mais importante do risotto era o caldo onde coze, pois é onde todo o sabor do risotto se concentra. 

Risotto de cogumelos e ervilhas [desde os 12 meses]
(para uma dose e meia - um adulto e uma criança)

Para o caldo:
1,5 litros de água
1 cebola grande
1 dente de alho grande
1 talo de brócolos
1 chávena de abóbora aos pedaços
1 colher de sobremesa de tomilho seco ou outras ervas aromáticas a gosto
sal q.b.

Para o risotto:
1 fio de azeite
2 dentes de alho
100gr de cogumelos (usei Portobello, mas qualquer qualidade servirá)
meia chávena de arroz para risotto (arborio ou carnaroli)
meia chávena de ervilhas congeladas
1 colher de sopa de manteiga (opcional)
queijo parmesão para polvilhar no final (opcional)

Coloquei numa panela, com uma boa porção de água, cebola, alho, abóbora e o talo de brócolos. Temperei com sal e tomilho seco e deixei levantar fervura. Reduzi para lume brando e fui dar banho às miúdas. Durante esse tempo o caldo reduziu e um cheiro maravilhoso inundou a cozinha. Mal podia esperar para pôr mãos à obra (salvo seja).

Salteei alho em azeite numa frigideira anti-aderente (o segredo para quem não quer passar meia-hora a mexer risotto). Coloquei cogumelos partidos aos cubos - eram Portobello, muito grandes, pareciam pães, dizia a L. - e deixei cozinhar, até reduzirem de tamanho. Juntei o arroz arborio e deixei saltear no azeite. Saltei a parte do vinho branco, pois a L. também iria comer, e temi que o sabor fosse muito estranho para ela. Gradualmente fui juntando conchas de caldo, que deixei ainda a ferver ao lado. E basicamente é assim que se faz o risotto, durante 15 minutos, adiciona-se caldo lentamente e deixa-se a água evaporar, mais uma concha e deixa-se a água evaporar - muita, muita paciência. No final dos 15 minutos, coloquei ervilhas congeladas, mais uma concha de caldo e deixei cozer por mais 10 minutos. Juntei no final uma noz de manteiga, que ajuda ao caldo que sobra a ficar com um aspecto mais cremoso.




Caros leitores, ficou divinal! A L. adorou, e modéstia à parte, foi das melhores coisas que comi nos últimos tempos. Em bem verdade, não precisamos de grandes estrugidos, ou guisados, e temperos excessivos, basta um caldo de legumes bem rico e saboroso para transformar um punhado de arroz ou massa num prato delicioso (agora percebo porque a T. tanto gosta das suas comidinhas).

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.