sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Dicas para a One-Pot Pasta perfeita


A one-pot pasta tem sido a ideia que publiquei aqui no blog com mais leitores a quererem experimentar. A sua simplicidade é muito aliciante e a promessa de um prato rápido e pouco trabalhoso convida até aos mais cépticos à cozinha.

Aqui por casa temos comido quase todas as semanas. As combinações são infindáveis e podem personalizar a pasta ao vosso gosto pessoal.

Mas há uma ou outra coisa que vos posso aconselhar, para que a vossa one-pot pasta fique mesmo no ponto. Aqui vai a minha lista de dicas para a one-pot pasta perfeita.


1. A massa

Podia-vos dizer que podem fazer este prato com qualquer massa, mas estaria a induzir-vos num grande erro. O segredo da one-pot pasta está no tempo de cozedura, quanto mais tempo, mais os sabores dos ingredientes se libertem e difundem. Como ninguém gosta da sua massa muito "passada" (para mim tem de ser ali num ponto específico entre o al dente e o cozido no ponto), não convém usar massas de rápida cozedura. 

As típicas massas de pacote têm em média um tempo de cozedura de 8-10 minutos. Ora... isto não é suficiente. Por isso, a minha primeira dica é que procurem massas, que pela sua forma natural, massas mais grossas como o linguini ou tagliatelle, levem mais tempo a cozer, ou pela sua composição também assim o obriguem, como as massas integrais (muito mais nutritivas). O ideal é encontrar massas que tenham um tempo de cozedura acima dos 12-13 minutos.  Quanto mais tempo, mais sabor absorve a massa.

O tempo da massa deve ser a referência do tempo que a one-pot pasta levará a fazer. Se esta for de 16 minutos, deverão contar cerca de 14-15 minutos desde que a água começa a ferver (pois com o tempo que leva a aquecer uma parte da massa já está cozida). Depois só com o tempo e fazendo várias vezes, se vai ganhando sensibilidade para os tempos mediante as massas.



2. O corte dos ingredientes

Como a one-pot pasta cozinha num espaço de tempo bastante curto, é conveniente que se tenha em atenção ao tipo de corte ou preparação que se deve dar aos ingredientes que se desejam, para que fiquem no ponto durante o pouco tempo que se tem disponível.

Algumas sugestões:
- a cenoura deve ser picada ou ralada;
- o tomate deve ser cortado aos cubos ou meias luas finas (para que se desfaça e transforme em molho)
- a cebola picada ou laminada finemente; 
- os pimentos devem ser cortados aos quadradinhos, ou em tiras muito finas;
- devem ser usados os raminhos mais pequeninos dos brócolos;
- as folhas de vegetais são ótimas opções, porque cozem rápido;
- a curgete pode ser cortada grosseiramente pois coze rápido;
- as leguminosas (à excepção da lentilha laranja), devem ser pré-cozidas;
- etc;




3. Tipos de ingredientes

A one-pot pasta é um prato tipicamente vegetariano, já que os tempos de cozedura em grande parte não são suficientes para cozinhar algumas carnes e peixes. O que não impede que não se faça. Podem-se usar carnes ou peixes pré-cozinhados, até mesmo aproveitar uma sobra que tenham no frigorífico que acham que ficará bem. Carnes secas ou fumadas, são uma boa adição para dar mais sabor à pasta.

Pessoalmente prefiro usar ingredientes frescos nas minhas one-pot pasta. Mas sem dúvida que os ingredientes secos concentram em si muito mais sabor e serão uma ótima adição às pastas. Tomate ou cogumelos secos aromatizam os cozinhados de uma forma mágica.

Evito ao máximo utilizar legumes congelados. O único que uso são as ervilhas. Os legumes congelados libertam mais água que sabor e quando usado em excesso num só pot, a pasta acaba por ficar muito sem sabor e aguada.




4. Quantidade de água

Não há uma fórmula mágica quanto à quantidade de água que vão precisar para um pot. Vai depender do tempo de cozedura da massa e do tipo de ingredientes que vão colocar. O ideal é colocar a água suficiente para que no final fique reduzida a um molho cremoso, mas que coza a massa no tempo certo. Parece difícil, mas a prática vai nos dando algumas lições. Atentem ao uso de tomate, por exemplo, que liberta muita água, a abóbora, os cogumelos ou legumes congelados também. 


5. Especiarias e ervas aromáticas

Usem e abusem de ervas aromáticas, tenham um pouco mais de dedo com as especiarias. O que se pretende são carradas de sabor e nada melhor que as ervas aromáticas ou as especiarias para carregarem de sabor estes pots

E quem diz que a one-pot pasta tem de ser "italiana"? Podem usar combinações de especiarias ou caril, para fazerem pastas de fusão entre vários tipos de gastronomia e culturas. 



6. Remate final

Aqueles 10 ou 15 minutos que a pasta demora a cozinhar, de nada servirão se não for terminada com chave de ouro. Costumo apenas terminas com um fio de azeite, mas podem misturas natas, ou leite de côco, ou um extra de molho de tomate, ou queijo ralado, o que quiserem para enriquecerem o vosso pot


7. O céu é o limite!

Ponham a imaginação e a papilas gustativas a trabalhar, registem combinações de ingredientes e sabores que gostem de outros pratos. A one-pot pasta é um prato de livre concepção que só dependerá da criatividade do cozinheiro.



1 comentário:

  1. Olá, sou a Isabel e acompanho o seu blog há bastante tempo, sou aliás leitora assídua de muitos outros blogs diáriamente, e, como tal decidi criar um blog onde divulgo os blogs que acompanho, (mas apenas escritos em português) sejam de receitas, artesanato, fotografias, moda, decoração, etc.

    Faço um pequeno tópico onde convido á visita dos blogs com hiperlink bem visível, de alguns posts do dia.
    Não faço reprodução de fotos nem textos dos autores, leio e divulgo.
    (Todas as fotos publicadas no meu blog são minhas.)

    Estou em "Conchas e Búzios" (http://conchasebuzios.blogspot.pt/).

    Resta-me apenas parabenizar o seu trabalho e agradecer uma visita ao meu cantinho quando for oportuno.


    Isabel Guerreiro
    iguerreiro2002@gmail.com

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.